Última Hora

Pombo sem Asa

Por: Barroso Futebol Sergipano - March 10, 2016

 

Washington 250314

Vitória, mesmo sofrendo

Venho dizendo que o time do Brasil poderá ser campeão apesar do técnico pouco contribuir para isso.

No jogo de hoje contra a Colômbia em que venceu por 2 a 1 e avançou para as semifinais, mais uma vez ficou comprovado que mesmo a equipe fazendo uma grande partida, o técnico Luiz Felipe consegue mexer e deixar as coisas bem mais difíceis.

A seleção brasileira começou o jogo com Paulinho substituindo o suspenso pelo segundo amarelo Luiz Gustavo, e com Maicon substituindo o instável Daniel Alves.

Tudo muito simples de entender se Luiz Felipe não teimasse como sempre, em complicar o óbvio.

Ora, todos que vêm acompanhando a Colômbia na Copa sabem do seu poderio ofensivo pelo lado esquerdo, com a velocidade de Armero e as descida pelo setor do seu melhor jogador,  James Rodriguez. Nada mais natural que o time adversário use o expediente de fortalecer defensivamente aquele setor. Taí o porque da entrada de Maicon. Ponto. Tudo certo, então.

Com a saída de Luiz Gustavo, nada mais natural que seu substituto seja alguém que conhece da posição e que demonstrou isso na campanha vitoriosa do campeonato inglês. Por isso, foi com naturalidade que Fernandinho ficou mais preso e Paulinho mesmo saindo mais um pouco, voltou à posição que o consagrou no Corinthians e com a camisa da própria seleção. Ponto. Tudo certo, então.

O que estava faltando ao time? Garra, coragem, determinação e choro só quando fosse realmente por um motivo importante.

Muito bem. O time começou pressionando a Colômbia e logo abriu o marcador através do monstro Tiago Silva.

Com Hulk bem no desarme e no ataque, mas péssimo no concluir, Neymar em tarde de negrume técnico impressionante (praticamente errou tudo que tentou fazer – parecia até que ele estava disputado “o melhor do Jogo” com James Rodriguez) e Fred no seu péssimo hábito de nada fazer no seu atual estágio na canarinha, Oscar, Paulinho e Fernandinho comandavam o meio campo e davam ritmo ao jogo.

Foi um primeiro tempo primoroso. O time virou vencendo e convencendo ao mais exigente torcedor ou analista.

Vem o segundo tempo e com ele começa a aparecer a estrela conturbada do Luiz Felipe.

Estava claro que a Colômbia partiria para o ataque em busca do go de empate. Seu técnico fez algumas mudanças e o time passou a comandar o jogo.

Teve um gol anulado e continuou a pressionar cada vez mais. Até que David Luiz acertou um canudo numa cobrança magistral de falta e ampliou o placar para 2 a 0.

Enquanto todos viam que o Fred apenas fazia numero, o técnico retirou Hulk  e fez entrar Ramires, para ajudar Maicon, já cansado devido a falta de ritmo de jogo.

Quando todos acreditavam que ele tiraria o Fred para procurar ganhar na marcação e na saída em velocidade para o ataque, devido ao massacre que a Colômbia vinha impondo à defesa verde e amarela, ele sacou o Paulinho e colocou o Hernane para talvez, com seus lançamentos longos, colocar finalmente o estático Fred no jogo.

Tudo piorou quando o ala direito colombiano acertou uma estúpida e desclassificante joelhada nas costas de Neymar, retirando-o do jogo e o técnico aproveitou para fazer o que mais gosta: fazer sofrer o torcedor brasileiro. Com a saída do atacante, ele fez entrar o Henrique e puxou ainda mais a Colômbia para perto do gol defendido por Julio César.

E ficou assim: com uma péssima arbitragem de um espanhol que nem se deve dar o direito de saber o nome, com um ótimo primeiro tempo e parte do segundo, com mais uma trapalhada do seu técnico, e com gols dos zagueiros, o Brasil venceu a Colômbia e avançou para as semifinais, jogando na próxima terça-feira, às 17:00 horas, contra a Alemanha.

Vamos comprar mais um saco de maracujá para ver se dá para aguentar mais um tranco. Ah! Desta vez, em vez de choro, os atletas demonstraram força, raiva, determinação de quem quer vencer.

 

 

Outras Categorias:
Barroso Futebol Sergipano
Radialista e jornalista Barroso Guimarães começou no rádio esportivo em 1986, na Liberdade AM, na equipe esportiva de Carlos Magalhães.